Skip navigation

– esteja em casa, porta livre, porteira aberta – lume no chão e vida no coração, todo sujeito é um amigo, todo amigo é um irmão, de caminhada, de luz e escuridão, somos todos cegos da vida na saudade de sua própria paixão…

– Grato e livre adentro! Vida na veia, esperança na frente e a história na boleia; na prosa do amigo, a alma se alumeia e alegre serpenteia pelos campos do porvir a que semeia.

– a galope, taco em riste, bola branca,braço forte, pois que o bagual se cansa, isso termina e quando se vê, já foi, já era, por-tanto- tanto pensado, tanto esforçado, perda de tempo- vale mais o senso de que se é o que se deseja, não o que se almeja…porque isso muda demais…

– do que foi e que revela a cada instante tudo o que é, que descerra e que se torna, o ciclo, expansão de si, senso do que se é, espelho do que se deseja, semente que auto-semeia, eis que nada almeja.

—————————————
Diálogo entre Osmar e eu, via scrapbook
maio 2005

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: